Homologação TEF

Desde de 1998, o governo brasileiro tornou obrigatório o uso do TEF para que aplicativos de ponto de venda (PDV) registrem vendas de frente de caixa, com cartão de crédito e débito, passando essas vendas primeiramente por Impressora Fiscal (ECF), e recentemente NCF-e ou SAT. Caso um estabelecimento comercial seja fiscalizado e seu sistema de frente de caixa não use TEF, ele poderá ser multado, além de fechado até regularização.

Assim, todos os PDVs que registrem vendas de frente de caixa devem utilizar TEF, discado (IP) ou dedicado, o que não é difícil, mas extenso, trabalhoso, cheio de detalhes, que consome bastante tempo de análise e programação. Depois de tudo isso, estes sistemas precisam passar pelo Processo de Homologação TEF, que é feito por empresas certificadas pelas redes de cartão.

Entre essas empresas, cada uma possui um software e um processo de homologação diferentes. Exemplos: SiTef da Software Express, D-TEF da Direção, Ve$Pague da VBI, Pay&Go da NTK e assim por diante. Antigamente esta homologação era presencial, mas hoje em dia pode ser feita remotamente, de onde o desenvolvedor estiver.

Então, para que seu software atenda a legislação, estando pronto para a escalada da demanda por pagamentos com cartão, integre seu sistema com os componentes EasyTEF, que implementam as especificações dos principais fornecedores de produtos TEF do mercado, reduzindo muito o tempo de programação, chegando mais rápido ao processo de homologação TEF.